Assembléia de credores da Varig é cancelada

A Justiça do Rio cancelou nesta quarta-feira a assembléia de credores da Varig marcada para o próximo dia 10 e também o leilão que deveria acontecer no dia 12 para votar a proposta da VarigLog, que planeja pagar cerca de US$ 500 milhões pela ex-controladora. Ainda não foi definida uma nova data para o encontro. O motivo do cancelamento foi a apresentação de uma proposta melhorada da VarigLog para comprar sua ex-controladora, por cerca de US$ 500 milhões. Credores e a comissão de juízes responsável pela recuperação judicial da Varig tinham dúvidas sobre a oferta. O Ministério Público do Rio e o administrador judicial da Varig, a consultoria Deloitte, têm, agora, 24 horas para analisar o documento, que só vale até o dia 16.A principal dúvida sobre a proposta da VarigLog era saber como os credores da Varig teriam garantia de que as suas dívidas seriam honradas na chamada Varig antiga, que seria desmembrada da operação principal para herdar o passivo de R$ 7,9 bilhões. Pelos detalhamentos apresentados nesta quarta-feira, a VarigLog se compromete a destinar R$ 277 milhões (US$ 125 milhões) pela Varig antiga. Esse dinheiro faz parte do R$ 1,067 bilhão (US$ 485 milhões) que a ex-subsidiária pretende desembolsar pela nova Varig. Na proposta anterior, não estava previsto o desembolso de dinheiro para a Varig antiga.Do total que a VarigLog pretende pagar pela ex-controladora, US$ 75 milhões serão desembolsados no dia da homologação da proposta. Outros US$ 75 milhões serão depositados 30 dias após a oficialização da compra. Depois disso, a ex-subsidiária também planeja pagar US$ 215 milhões em cronograma de investimentos que ainda deverá ser estabelecido de acordo com o plano de negócios da Varig.Novo leilão Caso haja novo leilão com outra proposta vencedora, o eventual comprador terá de reservar mais do que R$ 277 milhões na Varig antiga, que teria 5% das ações da companhia resultante da reestruturação. Pelo detalhamento apresentado ontem, essa participação seria concedida a credores com garantia real (classe 2) por meio da emissão, 30 dias após a homologação da proposta da VarigLog, de papéis de dívida (debêntures) não transferíveis e conversíveis em participação acionária de R$ 50 milhões e prazo de vencimento de 10 anos. Esses papéis teria remuneração anual fixa de R$ 4,2 milhões, que serão desembolsados em parcelas mensais, totalizando R$ 42 milhões. A mesma regra para os credores da classe 2 valerá para os trabalhadores, que integram a classe 1. Dentro de 30 dias após a homologação da oferta, a Varig poderá assinar um contrato com a Varig antiga para o fretamento de duas aeronaves, no valor de R$ 5 milhões durante 3 anos, totalizando R$ 15 milhões. A VarigLog também propõe pagar R$ 1 milhão por ano, no prazo de 10 anos, pela utilização do centro de treinamento de pilotos que será criado na Varig antiga. Outra fonte de receita da Varig antiga será o aluguel de todos os ativos imobiliários. Segundo estimativa da VarigLog, a remuneração mensal seria de 0,8% do valor de mercado desses imóveis. A VarigLog manteve na proposta o pagamento de R$ 24 milhões ao fundo de pensão Aerus. Esse dinheiro será usado para a recompra de 5% das ações da própria subsidiária que foram dadas como garantia em 2003, quando a dívida de R$ 2,3 bilhões da Varig com o Aerus foi repactuada. Reexame de compra O Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (Snea) protocolou nesta quarta-feira na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac)um pedido de reconsideração da aprovação da aquisição da Varig Logística (VarigLog) pela Volo do Brasil. A operação foi aprovada pela diretoria da Anac na noite de 23 de junho, sexta-feira. A Volo pagou pela ex-subsidiária da Varig que atua no transporte de cargas US$ 48 milhões em dezembro do ano passado.O Snea argumenta, em seu recurso, que a decisão da Anac deve ser invalidada porque o sindicato não teve oportunidade de se manifestar no processo administrativo após a entrega dos últimos documentos pela Volo, conforme a Anac havia informado. O sindicato ressaltou que naquele mesmo dia 23 de junho, pela manhã, a Anac afirmara que daria vista do processo ao Snea, mas, à noite, aprovou a transferência das ações da VarigLog para a Volo.A Anac, por meio de sua assessoria, confirmou o recebimento do pedido do sindicato e informou que, no prazo de dez dias, estará concluída a análise da Procuradoria Jurídica e dos técnicos sobre as alegações. Após esses pareceres, a diretoria da agência deverá dar a palavra final sobre o assunto.Este texto foi atualizado às 20h10

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.