Associação diz que tarifas impostas pela China é um retrocesso nas relações comerciais

China decidiu impor tarifas para o frango de corte brasileiro após descobrir que a indústria doméstica foi prejudicada pelas importações do produto

Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

08 Junho 2018 | 09h05

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) divulgou comunicado protestando contra a decisão do Ministério do Comércio da China (MOFCOM, na sigla em inglês) de aplicar tarifas à carne de frango brasileira, como direito antidumping provisório. "A associação reafirma que não há qualquer nexo causal entre as exportações de carne de frango do Brasil e eventuais situações mercadológicas locais", informa a ABPA na nota.

 A China vai impor tarifas para o frango de corte brasileiro a partir deste sábado, 9, afirmou o Ministério do Comércio do país após descobrir, em uma decisão preliminar, que a indústria doméstica foi substancialmente prejudicada pelas importações de produto brasileiro.

Segundo a ABPA, os esclarecimentos apresentados pelo setor produtivo e pelas agroindústrias exportadoras deixaram clara a ausência de qualquer possível dano aos produtores e ao mercado chinês. A entidade considera que a determinação da medida é um retrocesso nas relações comerciais construídas por brasileiros e chineses ao longo desta década.

"Apesar de uma potencial retração no desempenho dos embarques em toneladas, o fluxo comercial deverá ser mantido mesmo com a imposição da medida, frente à necessidade e alta demanda do mercado chinês", diz a ABPA.

Em 2017, o país asiático foi destino de 391,4 mil toneladas de carne de frango do Brasil, equivalente a 9,2% de tudo o que o Brasil embarcou no período.

A ABPA lembra que a investigação de antidumping foi iniciada em agosto de 2017, por solicitação de produtores locais. O processo conduzido pelo governo chinês contemplou, inclusive, empresas que não exportam para o país asiático.

"A decisão é provisória. A medida final será anunciada em agosto deste ano. A ABPA continuará a trabalhar no âmbito do processo, buscando reverter a decisão imposta temporariamente", completa a associação na nota.

Ontem à noite, o governo chinês anunciou em veredicto preliminar a imposição de tarifas antidumping contra a importação de frangos do Brasil. A partir de amanhã (9), os frangos importados do Brasil estarão sujeitos a tarifas que variam de 18,8% a 38,4%. O pagamento terá de ser feito em dinheiro à Administração Geral de Alfândegas, informou o Ministério.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.