Associação irá à Justiça contra telefone fixo pré-pago

A consultora da Pro Teste Associação do Consumidor Flávia Lefèvre criticou hoje os critérios do Acesso Individual Classe Especial (Aice) aprovados hoje pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Segundo ela, essa nova modalidade de telefone fixo pré-pago não vai resolver o problema das classes mais baixas da população, que não têm acesso ao telefone."O cliente vai pagar uma assinatura para não ter franquia. Isso é um absurdo", afirmou. Ela disse que a associação vai tomar medidas judiciais contra a implantação do Aice e contra a conversão de pulso para minutos, definida pela Anatel para medir as ligações a partir do próximo ano.A Pro Test já havia entrado com uma ação na Justiça para adiar a assinatura dos novos contratos de concessão da telefonia fixa, marcada para o dia 22, que ainda não foi apreciada.Na terça-feira, Lefèvre, juntamente com representantes de outras entidades de defesa do consumidor, esteve com o ministro das Comunicações, Hélio Costa, a quem manifestou apoio à proposta do telefone social, que, para ser criado, precisa da edição de um decreto presidencial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.