Associação promove dia sem impostos em Porto Alegre

O Rio Grande do Sul terá nesta terça-feira o primeiro "Dia da liberdade de impostos", manifestação organizada pela Associação da Classe Média (Aclame) que pretende chamar a atenção para o peso dos impostos no cotidiano dos contribuintes e discutir a aplicação dos recursos arrecadados. A data foi escolhida por representar o momento em que os contribuintes terminariam o pagamento de tributos.?Se fosse considerado o pagamento linear desde o começo do ano, até o dia 25 de maio o contribuinte estaria trabalhando somente para pagar impostos?, afirmou o presidente da Aclame, Fernando Bertuol. ?A classe média tem uma carga extra, pelos serviços que contribuiu e não tem retorno?, acrescentou, numa referência a gastos com saúde e educação. Segundo cálculo do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), a classe média precisaria trabalhar até 28 de julho para pagar impostos e serviços.Dois postos de combustíveis de Porto Alegre que aderiram à manifestação comercializaram nesta segunda-feira o litro de gasolina por R$ 0,85, quando o preço normal é de cerca de R$ 2. Do preço ao consumidor foram excluídos o ICMS e três impostos federais (Cide, Pis e Cofins). "Nosso propósito era mostrar isso na prática", disse Bertuol. Em um dos postos, o valor dos tributos foi pago pela Aclame e no outro o proprietário cobriu a diferença.Outras três empresas que aderiram à manifestação irão oferecer descontos nesta terça: duas garagens da capital gaúcha terão seus preços de estacionamento reduzidos em 39% pela retirada dos impostos e a Calçados Bibi irá vender seus produtos com desconto de 35% na loja de Parobé (RS).A idéia da Aclame foi inspirada em uma experiência de alguns Estados norte-americanos, que realizam o "tax freedom day".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.