Associação teme uso da estatais pelo governo

O presidente da Associação Nacional de Investidores do Mercado de Capitais (Animec), Waldir Corrêa, manifestou hoje preocupação com um possível uso das estatais pelo governo federal para a realização de ações sociais ou controle de inflação. "Não concordamos que o governo congele os preços dos combustíveis ou as tarifas de energia apenas para manter a inflação sob controle", afirma Segundo ele, "o (acionista) minoritário não pode ser prejudicado em seu rendimento por uma ação do governo federal, apenas pelo fato de esse governo ser o controlador da estatal". "Que se busque, então, uma outra alternativa de levar adiante os projetos sociais".De acordo com ele, nenhum dos acionistas minoritários das estatais entrou em contato até o momento com a Animec para apresentar queixa específica. Ele reconheceu que é muito difícil provar o uso da estatal pelo governo. Ele citou o caso do congelamento de preços da Petrobras para manter a inflação sob controle. "Como vamos provar se isso acontece de fato se o que temos, até o momento é uma impressão? Movendo uma ação na Justiça, que levará de seis a sete anos para ser julgada?", disse.Nem o recente estudo do Centro Brasileiro de Infra-Estrutura (CBIE), mostrando que os preços de gasolina e diesel cobrados pela Petrobras estão defasado em relação aos do Golfo Americano, motivou iniciativa dos minoritários. "Ninguém nos procurou até o momento para questionar esse assunto", disse.Na avaliação dele, casos como esse reforçam a necessidade de os minoritários possuírem um representante no conselho de administração das companhias. "Só assim podemos questionar, investigar e saber se de fato o minoritário está sendo prejudicado", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.