Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Ata do Copom anuncia recessão, critica Skaf

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, criticou pesadamente a ata da última reunião do Copom, divulgada hoje, afirmando que o Banco Central anuncia com recessão da economia ao indicar que a alta dos juros básicos não terminou e que o nível atual dos juros será mantido por um período prolongado.Em nota, Skaf disse que "o Copom está reconhecendo o que todos já sabiam, ou seja, sua baixa capacidade de atuação em preços administrados e de commodities, quer submeter os preços livres à forte pressão, via redução da atividade econômica e valorização cambial, a fim de compor a ambiciosa e irreal meta de inflação futura".Skaf afirma que a ata "quer descaracterizar a evidente atenuação da produção industrial, introduzindo o inovador conceito de análise por dia útil, que se agrega ao de sazonalidade, pelo qual um mesmo mês pode ter, ano a ano, distintos valores".Na nota, a Fiesp afirma ainda que, por "não saber como funciona a produção industrial, atividade desde muito longe do seu imaginário, o Copom acredita que 82,7% é taxa limite de ocupação da capacidade instalada". "Mais uma vez, seus integrantes correm para o abraço do setor financeiro, que há de louvar a prudência, e não escutam as vaias dos setores produtivos e dos trabalhadores", afirma a nota assinada por Paulo Skaf.

Agencia Estado,

23 de dezembro de 2004 | 16h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.