Ata do Copom concentra atenções do mercado nesta semana

O evento mais aguardado pelo mercado financeiro nesta semana é a divulgação, na quinta-feira, da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, que elevou mais 0,50 ponto porcentual, de 16,75% ao ano para 17,25%, a taxa básica de juros. O vice-presidente executivo de Tesouraria do Banco WestLB do Brasil, Flávio Farah, diz que a expectativa é que a ata reforce as preocupações do BC com a inflação. "A ata deve conter uma mensagem um pouco mais dura que justifique a unanimidade dos membros do Copom por um reajuste de meio ponto no juro básico." Atiça o interesse do mercado pela ata, ainda, a retirada da palavra moderado (na expressão ajuste moderado da taxa de juros, que constou da ata da reunião de outubro) do comunicado divulgado pelo Copom no término da última reunião, cuja duração de quase quatro horas também não passou despercebida. Especula-se que a supressão poderia sugerir a continuidade de ajuste no juro e a longa duração da reunião indicaria acalorado debate para trazer a uma elevação de 0,50 ponto a posição de quem poderia estar defendendo aumento maior. A semana começa com o interesse voltado também para os desdobramentos da intervenção do BC no Banco Santos, cuja crise provocou incertezas no mercado e levou à concentração dos recursos em grandes bancos. De todo modo, a decisão do BC de reduzir R$ 300 milhões por banco o recolhimento compulsório sobre depósitos a prazo, tomada na sexta-feira, tende a ampliar os recursos em caixa dos bancos de menor porte. A divulgação de dados de inflação pela pesquisa Focus, hoje, é outro foco de atenção do mercado. Farah lembra que a frustração da expectativa de redução da inflação projetada pelo IPCA para 2005, mantida em 5,90% semana passada, apesar da queda do dólar e do petróleo, fortaleceu o interesse pelos dados que serão anunciados amanhã, já sob a influência de nova elevação do juro pelo Copom. Terça-feira será conhecida a inflação de novembro pelo IPCA-15, e quinta-feira será divulgada a terceira prévia de inflação deste mês pelo IPC da Fipe. Além da inflação, outro dado de interesse dos investidores será a pesquisa do IBGE sobre o emprego a ser anunciada sexta-feira. O mercado tende a especular ainda sobre a possível emissão soberana em reais pelo Brasil ainda esta semana, antes do feriado do Dia Nacional de Ação de Graças nos Estados Unidos, quinta-feira, o que deve paralisar parcialmente os negócios no mercado americano na sexta. Embora os rumores sejam crescentes, Farah prevê que, se ocorrer, a emissão deverá ficar para a outra semana. O dado mais importante a ser divulgado nos EUA é o referente a confiança do consumidor de novembro, da Universidade de Michigan, na quarta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.