coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Até as 10 horas, mais de 50 vôos cancelados

No dia em que termina o prazo para os Trabalhadores do Grupo Varig (TGV) pagarem o sinal de US$ 75 milhões como forma de efetivar a compra da companhia a aérea, 57 vôos da empresa já foram cancelados, até por volta das 10 horas desta sexta-feira, em todo o País. Além disso, um avião que sairia Brasília, com destino ao Aeroporto de Galeão, no Rio de Janeiro, às 10h29, estava atrasado. Os dados estão disponíveis no site da Infraero, mas o órgão explica que o total pode mudar a qualquer momento. Até a mesma hora da última quarta-feira, 41 trajetos haviam sido cancelados, o que mostra um aumento no número de suspensões. Por outro lado, a boa notícia é que no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, pelo mesmo levantamento, não havia nenhum cancelamento previsto. Desses 57 cancelamentos, 11 partiram com destino ao Exterior. Um deles decolaria de Foz do Iguaçu, no Paraná, às 16 horas, com destino a Assunção. Três sairiam do Aeroporto de Galeão, no Rio de Janeiro, para Los Angeles (8 horas), Buenos Aires (10 horas) e Montevidéu (10h30). Os outros seis partiriam do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, para Santiago (11h30), Buenos Aires (14h20), Assunção (18h10), Santa Cruz de a Sierra (18h30), Madrid (20h25) e Nova York (20h30).O TGV afirmou nesta semana não ter certeza se de fato terá o dinheiro para o pagamento do sinal. Caso o pagamento não seja efetivado, explicou o juiz da 8ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, Luiz Roberto Ayoub, o leilão, que definiu a venda da Varig por US$ 449 milhões, será cancelado. Com isso, são três as hipóteses para o próximo passo: falência definitiva; um novo leilão; ou convocação de assembléia de credores para avaliar a oferta de US$ 500 milhões, apresentada pela VarigLog na última terça-feira. Quinta-feira Segundo divulgado oficialmente pela Infraero na última quinta-feira, durante todo o dia foram 118 vôos cancelados, o que representa 62% de um total de 189 trajetos marcados para o dia. Desses, os aviões com destino ao Exterior que não decolaram somaram 23, de um total de 32 previstos.Em nota distribuída nesta semana, a companhia garantia em âmbito internacional, as viagens para Frankfurt, Londres, Buenos Aires, Lima, Santa Cruz de La Sierra, Santiago do Chile e Caracas. Na malha doméstica estavam mantidos os destinos de Rio de Janeiro, nos aeroportos de Santos Dumont e Tom Jobim; São Paulo, em Congonhas e Guarulhos; incluindo também a ponte aérea, Salvador, Recife, Fortaleza, Belém, Manaus, Foz do Iguaçu, Curitiba, Porto Alegre, Fernando de Noronha, Florianópolis, Macapá e Brasília.A mesma nota anunciava a suspensão por tempo indeterminado dos seguintes trajetos: Milão, Munique, Madri, Paris, Nova York, Miami, Los Angeles, Cidade do México, Montevidéu, Assunção e Bogotá. Este texto foi atualizado às 11h34

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.