Até maio, empresas de capital aberto valiam R$ 2,5 tri

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho disse na noite de hoje que até maio existiam no Brasil 375 empresas de capital aberto, somando um valor de R$ 2,5 trilhões. "Das 30 empresas de capital aberto da América Latina, 14 são brasileiras, o que coloca as empresas nacionais em excelente posição para expansão internacional", disse Coutinho, que participa do Destaque Agência Estado Empresas 2011, relativo ao ranking 2010, elaborado em parceria com a Economática.

FRANCISCO CARLOS DE ASSIS, Agencia Estado

28 de junho de 2011 | 21h59

Para o presidente do BNDES, a internacionalização produtiva é um desafio relevante para o aumento da competitividade e criação de grandes empresas globais. Outro ponto importante para o crescimento das empresas, de acordo com Coutinho, é a inovação. "A inovação é a questão chave para a competitividade e sobrevivência da própria empresa", alertou o presidente do BNDES. Na visão dele, as empresas que inovarem alcançarão destaque internacional.

O momento atual da economia brasileira é propício ao crescimento e aos investimentos das empresas, na avaliação de Coutinho. Para ele, o momento é propício porque a economia brasileira continuará a crescer de forma sustentável nos próximos anos. Isso porque o mercado interno é robusto e porque o desemprego está em baixa e o rendimento em alta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.