Até março, Lula anuncia fim do acordo com FMI, diz Meirelles

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse ao jornal argentino Clarín que "antes de março de 2005, Lula anunciará que não vai renovar o acordo com o FMI". O jornal afirmou ainda que Meirelles anunciou de forma "definitiva" que o Brasil "pensa abandonar a tutela do Fundo Monetário Internacional". Da entrevista concedida em Curitiba, o Clarín destacou que o governo brasileiro pretende discutir com o FMI, "a reimplantação de uma linha de empréstimos para países que cumpriram com os deveres macroeconômicos".Meirelles disse que não vê nenhum risco no futuro, com crises internacionais que possam produzir turbulências, Meirelles respondeu negativamente. "Não prevemos crises imediatas, a não ser pelo preço do petróleo que pode alcançar marcas inéditas de, talvez, US$ 60 por barril. Isso conspira contra o crescimento das economias industrializadas".Maior riscoEm relação ao Brasil, Meirelles disse que "o maior risco é crer que os problemas estão todos resolvidos, o que poderia levar a pensar que se pode afrouxar a política fiscal e monetária".Segundo Clarín, o presidente do BC também destacou que o Brasil "decidiu aumentar a aposta no superávit fiscal de 4,25% para 4,50%. Ainda assim, há banqueiros que pensam que não alcança e que seria preciso que o Brasil chegue a um superávit fiscal primário de 7%. Como eles mesmos admitem , a custo de cortar gastos e aumentar a arrecadação".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.