Atendimento dos bancos lidera lista de queixas no BC

Instituições controladas pelo ABN - Real e Sudameris - lideram lista de reclamações registradas em dezembro

Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

15 de janeiro de 2008 | 12h32

O atendimento continua sendo a principal reclamação dos clientes quando o assunto é instituição financeira. Conforme estudo divulgado pelo Banco Central, 818 clientes registraram queixas sobre o atendimento em dezembro. Apesar de continuar na liderança, o número do mês passado é menor que o registrado em novembro, quando as reclamações sobre o tema somaram 1.441 registros. O volume também é menor que as 837 queixas contra o atendimento observadas dezembro de 2006. O segundo serviço mais citado no ranking do BC é o fornecimento de documentos, com 736 aparições. Em seguida, dois problemas semelhantes: liquidação antecipada de operações, com 592 registros, e prazos não estabelecidos ou cumpridos, com 581. Um dos principais temas da discussão sobre o serviço bancário no ano passado, as tarifas não têm reclamações tão freqüentes. Em dezembro, o tema foi o 8º mais citado, com 140 registros. Em novembro, estava em 7º e em dezembro de 2006, em 8º. ABN Entre as instituições campeãs de reclamações, o ABN Amro Real liderou pelo terceiro mês consecutivo o ranking do BC. Conforme o levantamento, a instituição teve índice de reclamação de 3,60. Neste número, também estão as queixas contra o Sudameris, incorporado pelo ABN. O segundo lugar é ocupado pela Caixa Econômica Federal, com índice de 2,34. O ABN Amro Real, procurado pela reportagem, ainda não comentou os números. Em seguida, aparecem Unibanco (2,30), Nossa Caixa (2,27) e Santander (1,75). Segundo o critério adotado pelo BC, o ranking é feito por um índice gerado pelo resultado da divisão do número de reclamações consideradas procedentes pelo universo total de clientes da instituição financeira. No ranking do BC, o ABN Amro Real lidera há três meses, desde outubro. Coincidentemente, outubro é o mês em que o espanhol Santander anunciou a compra do controle acionário da operação do banco holandês no Brasil. Antes dessa notícia, o ABN só aparecia eventualmente no ranking dos cinco mais reclamados. Em novembro, o ABN foi líder, com índice 6,69, ante o segundo lugar do Santander, com 4,89. Em outubro, a liderança do ABN foi ainda mais ampla, com 11,02 ante 4,74 do Santander, que ficou com o posto seguinte do ranking. Em setembro e agosto, antes, portanto, da compra do Santander, portanto, o ABN não foi um dos cinco mais reclamados. Em julho, havia sido o terceiro.

Mais conteúdo sobre:
Bancos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.