Atentados derrubam bolsas européias; Madri cai 2,18%

Os atentados que mataram mais de 190 pessoas e deixaram outras 1,2 mil feridas em Madri assustaram os investidores e derrubaram as bolsas de toda a Europa. A bolsa de Madri fechou em queda de 2,18%. Inicialmente, os ataques foram atribuídos ao grupo separatista basco ETA, uma vez que ocorreram a apenas três dias das eleições gerais. A bolsa chegou a recuar 3,11% depois que um político com ligações com o ETA negou que o grupo estivesse por trás dos ataques, sugerindo que terroristas internacionais, ligados a "resistência árabe", podem ser os responsáveis. Em Londres, a baixa foi de 2,20%. No mercado acionário de Paris, a queda chegou a 2,97%. A bolsa de Frankfurt recuou 3,46%; em Milão, a queda foi de 2,22% e em Lisboa, menos 2,55%. Leia mais ETA não cometeu atentados, garante político basco Jornais espanhóis abrem acesso via Web para noticiar atentado Lula envia mensagem de condolências ao rei Juan Carlos ONU e papa condenam atentado em Madri Já são 186 os mortos em Madri. Número pode crescer Jornal espanhol compara atentados de hoje a 11 de setembro Partidos espanhóis encerram campanha política Governo da Espanha monta central de informações Ministro acusa ETA por atentados que mataram 173 em Madri Contagem de mortos já chega a 172 em Madri Número de mortos nos atentados em Madri chega a 131 Atentados matam pelo menos 62 nos trens de Madri Explosões no trem de Madri deixam pelo menos 5 feridos

Agencia Estado,

11 Março 2004 | 16h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.