Atingido por novas denúncias, Bush falará hoje

O presidente George W. Bush falará hoje para investidores no Alabama em uma nova tentativa de conter a crise de desconfiança dos americanos, que está levando muitas pessoas a saírem do mercado acionário. Na última terça-feira, o discurso de Bush, que prometeu coibir as irregularidades corporativas, não teve sucesso. As pessoas se perguntam como o presidente pode infundir confiança se ele próprio está envolvido em irregularidades que agora condena. Ele e seu vice, Dick Cheney.Segundo as agências internacionais, Bush buscará hoje mais do que minimizar o peso dos recentes escândalos financeiros. Ele tentará melhorar a sua imagem, atingida pelas suspeitas de cumplicidade de seu governo com as grandes companhias que tiveram participação nas campanhas eleitorais, como a Enron. Isso, porém, fica um pouco mais difícil a cada dia, com a sucessão de novos fatos sobre o seu passado.No fim de semana, a notícia publicada pelo The Washington Post aumentou a tensão em torno do assunto. Bush, diz o jornal que fez o caso Watergate, teve informações privilegiadas da Harken Energy, empresa para a qual trabalhou entre 1986 e 1993, 16 dias antes de vender a maior parte das ações que tinha da companhia petrolífera, no valor de US$ 848 mil.Na véspera, no sábado, o mesmo jornal publicara que o Fiscal Geral adjunto, Larry Thompson, nomeado por Bush chefe do Grupo Especial contra Fraude Empresarial, teve uma atuação duvidosa como diretor da empresa de cartão de crédito Providian. Tudo isso representa mais um golpe na fé dos americanos, refletido na abertura dos negócios hoje, com queda das bolsas e alta do euro, que bateu hoje a marca histórica da paridade com o dólar.

Agencia Estado,

15 de julho de 2002 | 12h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.