Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Atividade da indústria paulista cresce 0,6% em agosto

Depois de dois meses com desempenho fraco, o Indicador do Nível de Atividade da Indústria Paulista (INA), apurado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) em conjunto com o Ciesp, voltou ao patamar positivo em agosto, ficando em 0,6% ante julho com ajuste e em 5,2% sem ajuste. Ante agosto de 2005, o INA teve incremento de 3,2%. No acumulado de janeiro a agosto, o indicador cresce 3,3%, ante o mesmo período do ano passado. O INA fechou 2005 em 3,6%.O levantamento de conjuntura na atividade industrial paulista divulgado nesta quinta-feira mostra também que o nível de utilização da capacidade instalada (nuci) encerrou agosto em 82,1% ante 80,6% em julho. Em agosto do ano passado, o nuci paulista estava em 82,4%. No mês passado o setor de petróleo e álcool operou com 95,1% da capacidade; o de metalurgia básica com 91,4%; o de celulose com 89,3%; e o de veículos automotores com 86,2%. Estes foram os setores com maior utilização da capacidade. A pesquisa mostrou, também, que as vendas reais da indústria paulista cresceram 13,5% em agosto ante julho (sem ajuste), mas o total de salários reais recuou 1,2% na mesma base de comparação.A demanda interna, segundo o estudo, puxou o desempenho do setor de alimentos e bebidas (2,2% ante julho com ajuste e 2,5% sem ajuste sazonal), e também segura a produção de veículos automotores (alta de 0,8% com ajuste e de 3,5% sem ajuste, ante julho). "Trimestre de ouro"O INA de agosto abriu o tradicional "trimestre de ouro" para a indústria, segundo palavras do diretor do Departamento de Pesquisas Econômicas da Fiesp, Paulo Francini. Isso porque, agosto, setembro e outubro costumam ser marcados pelo aumento da atividade industrial para abastecer o comércio no fim de ano. Ainda assim, a expectativa das duas entidades não é de que este "trimestre de ouro" seja realmente valioso.Ao contrário. "O terceiro trimestre deve ser, neste ano, tão morno quanto foi no ano passado", completou Boris Tabacof, diretor de Economia do Ciesp, ressaltando que em novembro e dezembro a atividade industrial também costuma recuar. Por essa razão, as duas entidades estimam que o INA fechará o ano em 2,7%. De janeiro a agosto, no entanto, o indicador subiu 3,3% sobre o mesmo período do ano passado. E em 2005, o INA cresceu 3,6% ante 2004.De qualquer forma, apesar de elevar novamente o indicador para o patamar positivo (-0,8% em junho e 0% em julho, sempre contra o mês anterior), a alta de agosto foi considerada tímida pelos empresários, contrária a projeções de crescimento mais consistentes. "Como se fala no mercado financeiro, a economia industrial paulista anda de lado", disse Tabacof.Matéria alterada às 13h55 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.