Atividade no campo da Chevron no Brasil deve atrasar

O presidente da Chevron no Brasil, Daniel Rocha, disse hoje que o primeiro campo da empresa no Brasil, a área de Frade, na Bacia de Campos, deverá ter um pequeno atraso no início de suas atividades e o cronograma para a entrada em produção vai passar de dezembro deste ano para janeiro de 2009.O Campo Frade está situado no Norte da Bacia de Campos, em lâminas d''água que variam entre 1.000 e 1.200 metros. O navio plataforma do tipo FPSO (navio de produção e estocagem de óleo e gás), que está sendo construído em Dubai para operar no local, deve chegar ao Brasil em setembro. O FPSO tem capacidade para a produção de 100 mil barris por dia de óleo, mas deverá produzir inicialmente 20 mil barris diários e sua produção total de petróleo pesado chegaria a um máximo de 80 mil barris por dia em 2011.A Petrobras possui 49% do projeto de Frade, mas a operação do campo está nas mãos da Chevron. O grupo SBM Offshore é quem foi contratado para cuidar da ancoragem da plataforma no local, procedimento que deve ser iniciado já em maio.Segundo Rocha, a empresa ainda possui em desenvolvimento no País os campos de Papa-terra e Maromba, em parceria com a Petrobras, e Atlanta e Oliva, em parceria com a Shell; todos na Bacia de Campos. Apenas o campo de Papa-terra está em processo de avaliação para a contratação de uma plataforma de produção. Os demais ainda estão em fase exploratória.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.