Ativo digital lastreado em ouro é nova opção ao investidor

bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Conteúdo Patrocinado

Ativo digital lastreado em ouro é nova opção ao investidor

Mercado Bitcoin permite investir a partir de R$ 50 em Pax Gold, lastreado no metal negociado na bolsa americana

Mercado Bitcoin, Media Lab Estadão
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

14 de setembro de 2020 | 10h40

A boa rentabilidade do ouro no ano vem despertando o interesse do investidor, que busca proteger seu patrimônio da forte volatilidade dos mercados. Ao lado do dólar, o ouro sempre foi considerado um porto seguro em momentos de estresse. E nesta pandemia não é diferente. Desde o começo do ano até o final de agosto, a onça troy do ouro negociada na Comex, divisão de metais da Bolsa de Nova York (Nymex), acumulava alta perto de 30%, a US$ 1.970.

Há várias maneiras de investir em ouro, mas o acesso do brasileiro ao mercado externo ainda é bastante limitado, normalmente via fundos que incluem o metal no portfólio. Oferecer uma alternativa segura, mais simples e barata de investir em ouro foi o objetivo que levou o Mercado Bitcoin (MB), principal plataforma de negociação de criptomoedas no País, a trazer a Pax Gold, um ativo digital lastreado no metal.

É o segundo ativo digital com lastro real, chamado de stablecoins, que o MB passa a oferecer ao investidor na plataforma. O primeiro foi o USDC, lastreado na moeda americana. “A Pax Gold está associada a uma quantidade do metal depositada em um cofre de uma instituição  nos Estados Unidos, e por isto o valor é bem mais estável do que a das criptomoedas, como a Bitcoin”, explica Reinaldo Rabelo, CEO do MB, acrescentando que há um grande interesse nas stablecoins, principalmente após o Facebook anunciar que vai disputar este mercado. A rede social está desenvolvendo sua própria moeda digital, o Libra, com lastro em ativos de baixa volatilidade, como depósitos bancários e títulos governamentais.

Democratização do ouro

Um dos atributos da Pax Gold é democratizar o acesso do investidor ao produto ouro pelo sistema de tokenização adotado, que fatia o ativo digital. Um token da Pax Gold vale, na cotação atual da onça do ouro em NY, perto de R$ 10.600. No Mercado Bitcoin é possível investir em ouro comprando uma fração do token, a partir de R$ 50. Em um mês disponível na plataforma, que se aproxima da marca de 2 milhões de clientes cadastrados, já foram mais de 10 mil transações com Pax Gold. “A maioria é feita pelo pequeno investidor, que vai testando o produto, mas temos alguns com perfil mais institucional que aportam somas bem maiores como parte da diversificação da carteira de investimentos”, explica Rabelo.

Garantir a segurança do produto ofertado, comenta o CEO do MB, é essencial para fomentar o mercado novo das stablecoins, o que explica a escolha do parceiro para lançar no Brasil o ativo digital. A Pax Gold foi criada pela empresa Paxos, que é a maior emissora de stablecoins regulamentada, e desenvolveu o ativo digital em parceria com o regulador americano, o Securities and Exchange Commission (SEC, espécie de CVM dos EUA). “A tecnologia Paxos torna possível tokenizar, custodiar, negociar e liquidar ativos de forma segura.” A liquidez da Pax Gold, acrescenta Rabelo, é suficiente para permitir que o investidor compre tanto de olho no médio ou no longo prazo. como para fazer “trade”, expressão do mercado financeiro de quem opera com mais frequência comprando na baixa e vendendo na alta.

Tudo o que sabemos sobre:
ouromoeda virtualinvestimento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.