Atraso na Sete Brasil será mitigado no mercado internacional, afirma diretora

De acordo com a diretora de Exploração e Produção, Solange Guedes, a intenção é mitigar o atraso verificado na entrega de sondas da Sete Brasil, afetada pela crise do setor e pelas investigações da Lava Jato

Antonio Pita, Fernanda Nunes, O Estado de S. Paulo

15 Maio 2015 | 19h48

A Petrobrás irá ao mercado internacional de equipamentos e sondas para evitar atrasos de seu plano de produção, informou nesta sexta-feira diretora de Exploração e Produção, Solange Guedes. Segundo ela, a intenção é mitigar o atraso verificado na entrega de sondas da Sete Brasil, afetada pela crise do setor e pelas investigações da Operação Lava Jato.

"O impacto da Sete Brasil é mitigado quando temos acesso a recursos no mercado internacional. Na medida em que se apura e verifica que há atrasos, ele é tratado em função de acessos a mercado competitivos no mercado de sondas", afirmou a diretora.

Segundo Solange, a produção de 2015 está "absolutamente" em linha com o programado pela companhia, estimado em 2,125 milhões de barris por dia, em média. A previsão da executiva é que haja um impacto de 2,5% na produção em função de paradas programadas de manutenção - o que equivale a 51 mil barris de petróleo por dia.

Mais conteúdo sobre:
petrobrás sete brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.