Atuação do Snea contra VarigLog é "predatória e parcial"

A Varig distribuiu nesta terça-feira à imprensa nota classificando de "predatória e parcial" a atuação do Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea). O sindicato, que reúne representantes da própria Varig e de suas concorrentes TAM, Gol e BRA, mantém posição contrária à venda da VarigLog para a Volo, companhia que tem entre seus acionistas o fundo americano de investimentos Matlin Patterson. Para o Snea, a compra é ilegal porque a lei brasileira impede que estrangeiros controlem uma companhia aérea. A Varig informa que exigiu a realização de uma assembléia geral extraordinária do Snea no próximo dia 13 para discutir a questão de uma forma aberta. A assembléia será na sede do sindicato, no Rio de Janeiro."Surpreendentemente, o Snea, entidade que, necessariamente, tem que lutar por mudanças que possibilitem às suas associadas garantias de sobrevivência no contexto altamente agressivo e competitivo do mundo globalizado, decidiu questionar a venda da VarigLog e o fez apoiado por determinadas associadas e diretores, à revelia de outros", diz nota da empresa.Segundo a Varig, a venda foi "criteriosamente avaliada e aprovada" pelo Poder Judiciário, pelo Ministério Publico e pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). "Desta forma, a Varig, a Rio Sul e a Nordeste não podem aceitar passivamente que o sindicato de sua categoria, cuja atribuição é zelar pelo interesse e sobrevivência das empresas aéreas, atue de forma predatória e parcial, defendendo interesses de parte de suas associadas", informa a nota.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.