Audiência pública da Varig começa com apenas dois convidados

O Senado iniciou, na manhã desta terça-feira, a segunda audiência pública para debater a crise da Varig. Apenas dois convidados, o procurador de Fundações da Procuradoria-Geral do Rio Grande do Sul, Antonio Carlos Bastos, e o economista e consultor dos empregados da Varig, Paulo Rabello de Castro, foram à reunião. Os outros convidados encaminharam às comissões justificativas por escrito para explicar a ausência. O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES), Demian Fiocca, explicou que "faltou tempo hábil para organizar a agenda" e o secretário de Previdência Complementar, Adacir Reis, alegou "reuniões intransponíveis" pela manhã. O juiz que conduz o processo da Varig no Rio de Janeiro, Luiz Roberto Ayoub, e os representantes dos sindicatos dos aeronautas e aeroviários justificaram, por sua vez, que estariam presentes à assembléia de credores da Varig, no Rio de Janeiro. As discussões foram convocadas por quatro comissões permanentes: Assuntos Econômicos, Assuntos Sociais, Infra-Estrutura e Desenvolvimento Regional e Turismo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.