Auditores da Receita podem definir paralisação de 72 horas

Auditores da Receita Federal de todo o País ameaçam ampliar para 72 horas o período de paralisação de alerta em protesto à Medida Provisória 258, que cria a Receita Federal do Brasil, conhecida como Super Receita. Em São Paulo, conforme informou o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Unafisco) da cidade, o resultado parcial das assembléias, que vêm sendo feitas desde ontem, mostra que 97% da categoria apóiam a rejeição da MP e a realização de mais uma greve, a terceira do mês, no início da próxima semana. A Super Receita unifica as receitas Previdenciária e Federal na mesma estrutura arrecadatória. Em setembro, os auditores fiscais do País promoveram duas paralisações de 48 horas para protestar contra a unificação. A primeira foi realizada nos dias 8 e 9 e a segunda foi feita na semana passada, na terça e na quarta-feira. Na tarde desta sexta-feira, na capital paulista, a categoria realiza sua quinta assembléia desde ontem, que definirá um posicionamento final sobre o assunto. Até o final do dia, a decisão das assembléias das delegacias sindicais de todo o País deverá resultar em mais um período de greve nacional dos auditores. Os auditores alegam que a MP 258 traz conseqüências negativas para a sociedade. Entre elas estariam o suposto aumento da carga tributária; o ingresso de servidores em carreira de Estado sem concurso público; a ascensão de servidores de nível médio a nível superior; e a insegurança jurídica gerada pelo questionamento da competência legal do novo servidor.

Agencia Estado,

23 Setembro 2005 | 17h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.