Auditores da Receita suspendem a greve após 60 dias

Depois de dois meses de greve, os auditores fiscais da Receita Federal decidiram suspender a paralisação a partir da próxima segunda-feira sem que a reivindicação de aumento de salário tenha sido atendida pelo governo. Em assembléias realizadas hoje em todo o País, a categoria concordou em pôr fim ao movimento com a promessa de abertura das negociações. A greve vinha afetando sobretudo os dados de registro das exportações e importações.A proposta do criação de uma mesa de negociação foi apresentada ao comando de greve, na quarta-feira, pelo presidente da Comissão de Trabalho da Câmara, Tarcísio Zimmermann (PT-RS). O deputado apresentou ao sindicato dos fiscais, o Unafisco, um documento com o compromisso do governo de que instituirá uma mesa negociadora.Desde o início do movimento, no dia 13 de abril, o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, deixou claro que não abriria as negociações enquanto a categoria estivesse em greve. ?Durante esses 62 dias de greve não avançamos em absolutamente nada?, disse a presidente nacional do Unafisco, Maria Lucia Fattorelli. ?Resolvemos mudar de estratégia e ver o que acontece com a conversa?.A presidente do Unafisco voltou a criticar o projeto de lei que o governo enviou ao Congresso, condicionando a concessão de uma gratificação aos auditores ao aumento de arrecadação. O presidente da Comissão de Trabalho da Câmara admitiu que a Receita não se comprometeu a mexer no projeto que foi enviado ao Congresso.

Agencia Estado,

17 de junho de 2004 | 20h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.