Auditores fiscais discutem paralisação em 8 de agosto

Os auditores fiscais fazem na quarta-feira uma assembleia nacional para definir os rumos do movimento sindical. A proposta é paralisar durante 24 horas as repartições não aduaneiras da Receita Federal, no dia 8 de agosto. As atividades na zona primária (portos, aeroportos e fronteiras) continuarão seguindo a operação padrão.

CADU CALDAS, Agencia Estado

31 de julho de 2012 | 17h09

Desde 18 de junho, os auditores fiscais da Receita Federal passaram a trabalhar em ritmo de operação padrão nas aduanas de todo o País, para pressionar o governo a conceder reajuste de 30,19% nos salários da categoria. Com isso, o tempo médio de liberação de mercadorias passou de um para quatro dias.

O governo federal, que havia prometido uma proposta à categoria até esta terça-feira, voltou atrás e disse que só irá se manifestar no dia 17 de agosto. De acordo com Pedro Delarue, presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco), a mudança de data pode significar uma estratégia governamental para apresentar uma contraproposta às vésperas do dia 31 de agosto, quando não haveria mais chance de negociação com a categoria.

Após a data não será mais possível colocar despesas no Orçamento da União do próximo ano e qualquer modificação salarial só seria possível a partir de janeiro de 2014. "O governo está jogando com a data. Quer apresentar uma proposta em cima da hora para evitar qualquer tipo de negociação. Mas, se a proposta não for satisfatória até lá continuaremos com a operação padrão indefinidamente", afirma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.