Auditores fiscais iniciam greve de 72 horas

Os auditores fiscais da Receita Federal iniciaram hoje uma greve de 72 horas em portos, aeroportos e alfândegas de todo o Brasil. No Porto de Santos (SP), os auditores decidiram fazer uma paralisação mais curta, de 48 horas, para evitar maiores prejuízos para exportadores e importadores de carga. A categoria, que reúne cerca de 7 mil trabalhadores, fará assembléia na sexta-feira para avaliar a possibilidade de entrar em greve por tempo indeterminado.De maneira geral, a greve deve prejudicar a movimentação de 20% do total das cargas nas alfândegas. É este o porcentual de mercadorias que normalmente necessita de fiscalização física e documental. O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Unafisco) determinou que os grevistas liberem os produtos perecíveis, os remédios e as mercadorias a serem fiscalizadas em caráter de urgência.O Unafisco informou que os auditores querem a reestruturação do plano de carreira da categoria através de uma medida provisória que está para ser votada no Congresso. O Unafisco também reivindica reajuste salarial de 21% e mudanças nas regras de fiscalização. De acordo com a entidade, o setor carece de melhores condições de trabalho e pede equipamentos adequados e novas contratações. O sindicato estima que o volume de contrabando no País seja de US$ 20 bilhões por ano.As paralisações dos fiscais começaram em abril e vêm dificultando a movimentação de cargas nas alfândegas de aeroportos, portos e estações aduaneiras. No Porto de Santos, que movimenta 26% das cargas que entram e saem no Brasil, a paralisação dos fiscais deverá atrasar o embarque de cerca de 1.500 contêineres.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.