Auditores fiscais realizarão "paralisações surpresa"

Os auditores fiscais da Receita Federal vão fazer "paralisações surpresa" nas alfândegas de aeroportos e portos do Brasil durante este mês, época de recesso do Congresso. O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Unafisco) informou que haverá 24 horas de paralisação toda semana, mas o dia certo será definido em assembléia. Amanhã, haverá protesto na Alfândega do Porto de Santos (SP), onde 5 mil contêineres esperam para serem desembaraçados. Os fiscais estão realizando operação-padrão desde abril, com o objetivo de pressionar o Congresso a votar medidas provisórias que reestruturam a carreira. Na sexta-feira passada, eles decidiram aliviar o protesto durante o mês de julho. Mas vão intensificar a operação a partir do dia 7 de agosto, com a volta ao trabalho dos congressistas. A categoria reúne 7 mil trabalhadores. Indústrias de vários setores e empresas de transporte e de comércio exterior estão tendo prejuízo com o protesto, responsável pelo atraso na liberação de cargas, principalmente na importação.Segundo o Unafisco, os fiscais liberam rapidamente remédios e mercadorias perecíveis e as cargas que caem no canal verde, isto é, que não precisam de fiscalização física e burocrática. Normalmente, 80% dos produtos têm liberação imediata. No entanto, de acordo com fontes do setor de logística, até mesmo as mercadorias importadas que entram no canal verde estão sendo retidas por tempo indeterminado.Para os profissionais da área, as perdas são graves porque a imagem do Brasil fica mais prejudicada, dificultando negócios futuros. "O País já é conhecido por ser excessivamente burocrático; problemas na aduana como os que estão ocorrendo trazem perdas que não podem nem ser calculadas em cifras", opina Milson Januário, diretor da Custom Comércio Internacional, empresa especializada em logística para o comércio exterior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.