Auditoria apura prejuízo da Caixa

Auditoria na Caixa Econômica Federal, a pedido do Ministério Público Federal, aponta irregularidades nos negócios com a Caixa Seguradora, controlada pela francesa CNP Assurances, da qual a Caixa é acionista. O relatório preliminar, concluído na semana passada, indica que o prejuízo da Caixa desde 2001 pode superar os R$ 500 milhões em valores presentes. A auditoria apontou que a instituição mobiliza milhares de empregados para vender produtos da seguradora em troca de tarifas irrisórias. Pelos cálculos dos auditores da própria Caixa, a folha de pagamento da instituição é de R$ 520 milhões por mês, enquanto o repasse médio mensal feito pela seguradora foi de R$ 1,560 milhão entre julho de 2001 e junho de 2006. O banco ficaria com apenas 40% das tarifas cobradas dos clientes pela venda de previdência privada e seguros. Os auditores defendem que a Caixa teria direito à totalidade das tarifas.O documento também afirma que a Caixa está assumindo riscos significativos ao captar recursos com a venda de previdência privada e títulos de capitalização e consórcios e repassá-los à Caixa Seguradora. O dinheiro é transferido principalmente para o HSBC Banking, que administra os ativos da seguradora. "Fato que permite à CNP Assurances dar a tais recursos a destinação que lhe convier?, diz o documento. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.