Auditoria poderá indicar novas irregularidades

Nas próximas semanas, a consultoria PwC divulgará o resultado da auditoria realizada a pedido dos acionistas da Portugal Telecom (PT) para apurar os responsáveis pela aplicação de 897 milhões da operadora portuguesa na Rioforte, holding não financeira da família Espírito Santo, dona do maior banco privado de Portugal, que entrou em colapso em julho.

O Estado de S.Paulo

22 de setembro de 2014 | 02h04

"As notícias sobre essa aplicação foram como um tsunami", disse Rafael Mora, vice-presidente da RS Holding. Ele e Paulo Varella, do grupo Visabeira, dois dos principais acionistas da PT, esperam que o relatório aponte quem foram os responsáveis pelo caso que fez a PT rever sua participação na fusão com a Oi.

A cúpula da PT foi trocada. Henrique Granadeiro, que estava à frente do conselho de administração e homem de confiança de Ricardo Salgado, patriarca da família Espírito Santo, deixou definitivamente a companhia na semana passada. A expectativa é de que novos problemas apareçam. / M.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.