Augustin reafirma otimismo com demanda para concessões

O governo está otimista com a demanda para as concessões de infraestrutura previstas até o fim do ano. "A gente melhorou todos os modelos, criando condições de competição. Espero que haja muita competição e o Brasil vai ganhar muito se esta expectativa se confirmar, assim como foi com os aeroportos quando o apetite do setor privado foi muito forte", afirmou o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, nesta quinta-feira, 29.

RENATA VERÍSSIMO, LAÍS ALEGRETTI E ADRIANA FERNANDES, Agencia Estado

29 de agosto de 2013 | 17h53

Segundo ele, este é um dos assuntos mais importantes do Brasil. "Trabalhamos muito para desenhar o processo da melhor maneira possível. Agora, é o momento de verificar se o que a gente construiu está em condições de passar para a fase mais relevante, que são as obras. Estou muito otimista", afirmou. O secretário informou que as receitas com concessões em 2013 devem ser altas por causa do leilão do campo de Libra, o primeiro com áreas do pré-sal.

Em julho, foram pagos R$ 1,2 bilhão pela concessão dos aeroportos e R$ 2,1 bilhões pelos leilões feitos pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Para 2014, o governo espera receber R$ 9,75 bilhões com as concessões, principalmente no setor de telefonia.

Conforme Augustin, todos os fundos garantidores do governo têm tido os aportes necessários e vão continuar a ter com a criação da Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias (ABGF). A agência irá centralizar a gestão dos fundos garantidores, fundamentais para equacionar a engenharia de financiamento para vencedores das concorrência públicas.

Tudo o que sabemos sobre:
concessõesArno Augustin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.