Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Aumenta nº de trabalhadores vivendo abaixo da linha de pobreza

Aumentou o número de trabalhadores vivendo abaixo da linha de pobreza no mundo. Essa é uma das principais conclusões do novo Relatório Mundial do Emprego, divulgado hoje pelo diretor da OIT no Brasil, Armand Pereira. Pelos dados da OIT, o número de pessoas empregadas em 2003 é o maior já visto. São 2,8 bilhões em todo o mundo. Mais da metade deles, no entanto, ou seja 1,4 bilhão de pessoas vivem com menos de 2 dólares por dia e desses, 550 milhões, ou seja, 18% vivem com menos de 1 dólar por dia. Segundo Armand Pereira esses dados demonstram que o trabalho é insuficiente para que milhares de pessoas tenham um nível de vida adequado. Ele defende que políticas públicas globais de emprego e programas de renda mínima sejam focados pelos governos como uma estratégia para reduzir a pobreza. No trabalho da OIT, os indicadores da América Latina e Caribe demonstram que a região terá mais dificuldades para alcançar o objetivo de reduzir a pobreza pela metade, até 2015. "A taxa de crescimento do PIB é muito inferior aos 5% anuais necessários para alcançar esses objetivos. Além disso, a região não vem conseguindo obter os mesmos índices de ganho em produtividade", destacou Armand Pereira. O conselho da OIT para a América Latina é que a região invista ainda mais nas políticas de melhoria de produtividade e geração de emprego decente, como alternativa para a redução da pobreza.

Agencia Estado,

08 de dezembro de 2004 | 13h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.