Aumenta o número de famílias endividadas e inadimplentes em agosto, diz CNC

Segundo CNC, 63,6% possuem dívidas; porcentual de inadimplência ficou em 19,2%

Daniela Amorim, Agência Estado

26 de agosto de 2014 | 11h05

RIO - O número de consumidores endividados aumentou em agosto, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O porcentual de famílias com dívidas passou de 63% em julho para 63,6% este mês, um crescimento de 0,06%. Em relação a agosto de 2013, também houve alta, de 0,05% na fatia de endividados.

A pesquisa é realizada nos 10 últimos dias úteis do mês anterior à divulgação, perguntando às famílias se elas estarão endividadas e terão condições de pagar as contas no mês seguinte.

Segundo a CNC, o aumento no número de famílias endividadas ocorreu nas duas faixas de renda pesquisadas (até dez salários mínimos e acima de dez salários mínimos). Para as famílias que ganham até dez salários, o porcentual de endividados foi de 64,8% em agosto, ante 64,3% em julho. Na faixa com renda acima de dez salários mínimos, o montante de famílias com dívidas passou de 57% em julho para 57,6% em agosto.

A CNC credita o aumento do endividamento ao crescimento de algumas modalidades de crédito, como o financiamento imobiliário. No entanto, o cartão de crédito ainda aparece como a dívida mais citada, apontado por 75,8% das famílias endividadas, seguido por carnês (17%) e por financiamento de carro (13,4%). A pesquisa considera como dívidas parcelas a pagar em cheque pré-datado, cartões de crédito, carnês de lojas, empréstimos pessoal, seguros, prestações de carro e imóveis. 

Em agosto, também aumentou o número de famílias inadimplentes, que passou de uma fatia de 18,9% em julho para 19,2%. Em agosto do ano passado, entretanto, a proporção de consumidores com dívidas ou contas em atraso era maior, aos 21,8%.

Tudo o que sabemos sobre:
CNCinadimplência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.