Aumenta otimismo do consumidor brasileiro

O consumidor brasileiro estava mais otimista em julho do que em abril, mas ainda não retornou às ótimas expectativas apresentadas em janeiro deste ano. A conclusão é da "Sondagem de Expectativas do Consumidor" divulgada hoje pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), relativa ao mês passado. Enquanto em janeiro, 79,3% dos entrevistados consideravam a situação econômica do País melhor ou igual à de seis meses anteriores, em julho esse percentual recuou para 66,6%, mas apresentou uma reação em relação a abril, quando havia despencado para 59,1%.No caso das expectativas para os próximos seis meses, 39,4% dos 1.900 entrevistados esperam que a situação do País vá melhorar, percentual maior que os 34,5% de abril, mas bem inferior aos 60,1% de janeiro. Para o economista da FGV, Salomão Quadros, os dados da pesquisa mostram que há perspectiva de recuperação do consumo, mas "não há possibilidade de explosão ou bolha do consumo neste momento".Segundo ele, a pesquisa ainda mostra o consumidor cauteloso, mas esse é um fator positivo e não deverá inibir uma reação gradual do consumo nos próximos meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.