Aumenta otimismo em relação à economia, afirma CNI

Inflação baixa e crescimento do emprego e da renda aumentaram o otimismo dos brasileiros com o desempenho da economia em junho, revela a pesquisa Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec), divulgada na tarde desta sexta-feira Confederação Nacional da Indústria (CNI). O índice, que em junho de 2005 foi de 100,2 pontos, registrou 104,8 pontos no mês passado. Na avaliação do economista Marcelo Azevedo, da Unidade de Política Econômica da CNI, "o consumidor está animado, e isso ajuda a impulsionar o crescimento da economia." Segundo ele, o aumento do otimismo - de 4,6 pontos, ou 4,8% - foi estimulado pela percepção positiva da população sobre o comportamento da inflação, da renda e do emprego. Essa percepção, segundo Azevedo, incentiva o consumidor a ir às compras. O índice de 104,8 pontos registrados no mês passado é o maior valor desde agosto de 1996."Isso confirma que o aumento do consumo doméstico será um fator importante para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano", afirma o economista da CNI.Aumento da inflaçãoDe acordo com a pesquisa, caiu o número de entrevistados que esperam aumento da inflação e do desemprego. No caso da inflação, os pessimistas, que eram 54% em junho de 2005, agora são 40%; já o número de pessoas que têm muito medo de perder o emprego caiu de 34% em março para 29% em junho. A CNI informa também que o indicador da expectativa de renda das pessoas atingiu 108,1 pontos em junho de 2006, ou 7,2% a mais do que as que tinham essa percepção em junho de 2005. Esse patamar está cerca de 8% acima da média histórica. Na avaliação da CNI, a percepção dos brasileiros sobre a renda reflete os efeitos das políticas do governo e a queda da inflação, que resultaram em aumento real dos rendimentos.Para chegar ao Inec, a CNI faz a pesquisa trimestralmente, entrevistando cerca de 2.000 pessoas em todo o País. As entrevistas da pesquisa do segundo trimestre de 2006 foram feitas de 9 de junho a 13 de junho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.