Mike Blake/Reuters
Mike Blake/Reuters

Aumenta procura por marcas de carne após oferta pela Hillshire

A guerra de ofertas pela Hillshire Brands pode gerar mais acordos enquanto empresas de carne buscam retirar seus ativos da fazenda para a cozinha em um frenesi da indústria de comida que acelerou depois da aquisição pela China da Smithfield Foods um ano atrás.

Reuters

30 de maio de 2014 | 20h25

Os acordos também estão sendo impulsionados pelo crescente apetite dos norte-americanos por proteína: as margens de lucro na produção de frango aumentaram mesmo com a queda do surpimento dos mercados de carne de boi e de porco, o que elevou preços, ampliando os custos para produtores e levando alguns consumidores e varejistas a procurar produtos aviários.

A atividade de fusões e aquisições no mercado de carne totalizou 20,3 bilhões de dólares até agora no ano, um aumento de 98 por cento na comparação com o mesmo período de 2013, de acordo com dados da Thomson Reuters.

A Tyson Foods ofereceu na quinta-feira comprar a Hillshire Brands por 6,3 bilhões de dólares excluindo dívidas, ultrapassando a oferta da Pilgrim's Pride pela empresa de linguiças no início da semana.

"Tivemos um ciclo muito forte de proteína. Isso gerou muito dinheiro e melhorou balanços, o que deu bastante poder para as companhias de proteínas" quando procuram acordos, disse a analista da Stephens Farha Aslam.

(Por P.J. Huffstutter)

(Por Luciana Bruno)

Tudo o que sabemos sobre:
ALIMENTOSHILLSHIREBRANDSOFERTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.