Aumentam oportunidades de emprego no setor público

Estabilidade no emprego, salários polpudos e amplos benefícios trabalhistas. Ingressar no setor público pode ser o início de uma guinada profissional e financeira. Para quem aposta na idéia, há cada vez mais oportunidades de conquistar o emprego dos sonhos. De 2003 a 2006, ocorreram 57 mil contratações por concurso público federal no País, segundo dados do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. De 1999 a 2002, o número não passou de 5 mil. O governo federal prevê mais de 56 mil vagas para 2008, no Executivo, Judiciário, Legislativo e no Ministério Público da União.Em um dos maiores promotores de concursos do País, o Centro de Seleção e de Promoção da Universidade de Brasília (Cespe/UnB), o número de concursos realizados saltou de 58 em 2002 para 97 em 2006. Até setembro, foram 82 concursos. O número de inscritos passou de 1,6 milhão para 4,7 milhões. Para este ano, a expectativa é chegar a 10 milhões de candidatos.Para o especialista em Recursos Humanos Hélio Terra, presidente da consultoria Manager, a alta concorrência e a instabilidade da iniciativa privada fazem da carreira pública um bom negócio. "O funcionalismo está em alta", diz. "A iniciativa privada também está bem, mas passa por turbulências que expõem o profissional ao risco de perder o emprego."Bom motivo para pensar na carreira pública é a remuneração. Para cargos de nível médio e técnico, os salários iniciais chegam a R$ 3.085,70. É o caso do concurso para técnico judiciário do Tribunal Superior do Trabalho do Distrito Federal, que tem inscrições abertas até 11 de dezembro. Para nível superior, o inicial chega a R$ 21 mil para procurador da Procuradoria Geral da República, seleção encerrada no ano passado.Antes de se inscrever em um concurso, no entanto, os especialistas recomendam ponderar quais são os objetivos profissionais a longo prazo. "Pense bem como o emprego público pode favorecer seu status profissional, não só no salário", sugere a consultora de RH da Catho, Gláucia Santos.PaciênciaAlém disso, nem todo perfil profissional se adapta ao serviço público. "Profissionais muito ambiciosos acabam se realizando melhor na área privada", lembra Gláucia. "No setor público as coisas demoram mais e são necessários anos na mesma atividade para evoluir." Para Marcelo Abrileri, presidente da Curriculum com.br, empresa de recrutamento e recolocação, o crescimento dentro de uma repartição exige paciência. "Você tem uma disputa interna muito acirrada pelas promoções, que demoram a vir."Para Terra, cargos públicos são uma boa oportunidade para quem quer seguir carreira acadêmica, técnica ou administrativa. "O profissional só não pode ser muito elétrico, senão não agüenta", diz. "Gláucia destaca boas oportunidades ainda nas áreas de Direito, Saúde e Educação. "É nestas áreas que a pessoa tem mais chances de crescer."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.