Aumento da gasolina deve sair logo, diz Petrobras

A Petrobras está mais perto de decidir sobre um reajuste de combustíveis, admitiu nesta quinta-feira o diretor financeiro da estatal, João Nogueira Batista. Segundo ele, vários fatores que antes causavam incertezas estão desaparecendo e o mercado caminha para um período maior de estabilidade, quando será importante para a empresa definir o assunto. "Estamos chegando a um momento em que os fatores de incerteza estão desaparecendo", disse.O executivo negou rumores de que o presidente Fernando Henrique Cardoso estaria pedindo a Petrobras para adiar o reajuste com medo de uma disparada ainda maior da inflação, que já subiu forte com a alta do dólar nos últimos meses. "O presidente não se envolve nessa discussão. Quem administra a empresa é sua diretoria e seu conselho de administração."CaptaçãoO diretor informou que a estatal pode fazer uma nova captação no mercado interno ainda este ano em função do sucesso do segundo lançamento de debêntures feito pela estatal este ano. "É possível voltar ao mercado até o final do ano. Isso, mesmo que não haja necessidade de dinheiro", disse.Segundo ele, o objetivo é criar uma curva de juros em reais e, por isso, todas as captações teriam prazos diferentes. Em outubro, a Petrobras lançou R$ 775 milhões em debêntures com vencimento em 8 anos e rendimento de IGP-M mais 10,30% ao ano. Desse total, a empresa destinou R$ 50 milhões para ser vendidos a pessoas físicas no mercado de varejoBatista afirmou que a demanda de pessoas físicas pelas debêntures lançadas pela estatal ficou acima da expectativa. Segundo ele, essa grande procura pelos títulos mostra que existe espaço para estimular o mercado secundário de títulos da dívida no País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.