Aumento de 21% do gás pode inviabilizar mercados

Um aumento de 21% na tarifa do gás natural, cogitado pela Petrobras, poderá inviabilizar alguns mercados para este combustível. A afirmação é de Derly de Oliveira Bittencourt, diretor-executivo da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás)."Até mesmo o GNV (gás natural veicular), que vem apresentando um crescimento de consumo, poderá perder competitividade diante da gasolina se houver esse aumento", disse Bittencourt.Ele acrescentou que a Abegás pretende demonstrar o impacto negativo do aumento aos diretores da Petrobras, em reunião marcada para a terça-feira. "Se não pudermos evitar o aumento, pediremos que seja pelo menos reescalonado", acrescentou.O aumento de 21% no preço do gás natural foi anunciado nesta semana pelo diretor dessa área na Petrobras, Rodolfo Landim, como forma de repassar para os preços do combustível a variação cambial e o aumento das cotações internacionais do petróleo, às quais o preço do gás está vinculado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.