Aumento de investimento estrangeiro surpreende Brasil, diz Financial Times

Fluxo está aumentando a um ritmo mais alto do que nos outros emergentes.

BBC Brasil, BBC

18 de janeiro de 2008 | 07h50

O Brasil está se surpreendendo com o aumento dos investimentos estrangeiros, segundo artigo publicado nesta sexta-feira pelo jornal britânico Financial Times.O jornal comenta o anúncio de compra de duas minas de minério de ferro da MMX pela Anglo American por US$ 5,5 bilhões e o anúncio recente de investimentos de US$ 1 bilhão da Symetrix, uma empresa americana de chips, afirmando que o país tem atraído mais investimentos estrangeiros."O fluxo de investimento estrangeiro direto está aumentando. Por muito desta década as atrações brasileiras foram ofuscadas pelas dos outros gigantes dos mercados emergentes, China, Índia e Rússia - até agora o país dos Bric que cresce mais rapidamente. Mas nos últimos meses o Brasil começou a melhorar", afirma o FT.O artigo cita dados publicados na semana passada pela Conferência de Comércio e Desenvolvimento da ONU, que mostram que o Brasil recebeu duas vezes mais investimentos estrangeiros diretos do que a Índia em 2007, e que estes investimentos cresceram a uma taxa mais rápida do que na China ou na Rússia."O fluxo total de US$ 37,4 bi foi mais do que o dobro da quantia atraída pelo Brasil em 2006 e, pelo menos em termos nominais, mais do que o fluxo atraído no início desta década, quando a campanha de privatização estava a todo o vapor."O FT afirma que o crescimento surpreendeu até os brasileiros. Na China, este fluxo caiu, enquanto que na Rússia ele cresceu 70%.ExplicaçãoO artigo pergunta por que o Brasil está se saindo tão bem e afirma que a riqueza em recursos naturais, cuja demanda mundial tem crescido, é parte da explicação."O sucesso do investimento recente, no entanto, é muito mais amplo. Dados do Banco Central para os primeiros 11 meses de 2007 mostram que mais de um terço do fluxo de investimentos foram direcionados para a indústria manufatureira."Além disso, o país atraiu investimentos no setor de mineração, e o etanol atraiu bilhões, diz o FT, mas o jornal também atribui o aumento do fluxo à melhora das perspectivas macroeconômicas no Brasil."Setores orientados para o mercado doméstico, como a construção, estão crescendo. O crescimento, que chegou a 5% em 2007, é desapontador se comparado ao da China ou Índia, mas investidores estão cada vez mais confiantes de que uma demanda doméstica maior e o aumento das taxas de formação de capital vão permitir ao Brasil sobreviver relativamente ileso a um desaquecimento na economia americana."Mas o diário britânico afirma que, apesar disso, mesmo alguns investidores com interesses no Brasil temem os obstáculos para o crescimento, citando o chefe da GE para a América Latina, Marcelo Mosci, que teria dito que o fracasso em melhorar as condições de negócios no Brasil, através de reformas trabalhistas, entre outras, vai criar problemas no futuro.Mas, segundo o jornal, no momento isso não está prejudicando o entusiasmo. O artigo concluiu citando o economista Emy Shayo, do Bear Stearns, que teria dito: "As pessoas estão totalmente apaixonadas pelo Brasil. Investidores vêm aqui e acreditam que este é o melhor país do mundo.".BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.