Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Aumento de juros é contraditório e incoerente, diz Abdib

O presidente da Associação Brasileira da Infra-Estrutura e da Indústria de Base (Abdib), Paulo Godoy, classificou como "no mínimo contraditória e incoerente" a última decisão do Banco Central de elevar a Selic em mais 0,50 ponto percentual, atingindo 17,75% ao ano. A pressão inflacionária no Brasil é sobretudo de custo e não demanda. Por isso, a alta dos juros freia os investimentos e o consumo, mas não impede a subida das "commodities" e dos preços administrados".Para Godoy, ao aumentar a Selic de novo, "o Banco Central acaba sendo duplamente incoerente com os pilares da política macroeconômica do governo. Primeiro, o comprometimento com as metas de inflação vale para decisões em torno dos juros mas não vale para outra, em torno do câmbio. Segundo, os efeitos benéficos da manutenção de superávits elevados por muitos anos, reduzindo o endividamento público, acaba sendo perdido pelo insistente aumento na Selic".

Agencia Estado,

16 de dezembro de 2004 | 08h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.