Aumento do consumo privado ajuda economia alemã a evitar recessão no 3º tri

O forte aumento do consumo privado mais do que compensou a fraqueza do investimento, ajudando a economia da Alemanha a registrar um crescimento modesto no terceiro trimestre e evitar a recessão.

REUTERS

25 de novembro de 2014 | 07h03

O Escritório de Estatísticas do país confirmou nesta terça-feira a estimativa anterior de expansão de 0,1 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) ajustado entre julho e setembro.

O consumo privado aumentou 0,7 por cento sobre o trimestre anterior, o maior avanço em três anos, enquanto que o investimento público expandiu 0,6 por cento. O consumo global contribuiu com 0,5 ponto percentual para o crescimento do terceiro trimestre. O comércio também foi um apoio, com as exportações subindo a um ritmo mais rápido do que as importações.

No lado negativo, o investimento em equipamentos caiu 2,3 por cento. No geral, o investimento subtraiu 0,7 ponto percentual do PIB no trimestre.

Mas, em um sinal positivo para o quarto trimestre, os estoques subtraíram 0,5 ponto do crescimento, sugerindo uma retomada nos últimos meses do ano.

Depois de a economia alemã ter contraído 0,1 por cento no segundo trimestre, alguns economistas temiam que ela afundaria em recessão técnica com outra queda no terceiro, sob o peso da fraqueza nos principais parceiros comerciais da zona do euro como a França, bem como a incerteza decorrente da crise na Ucrânia.

Tudo o que sabemos sobre:
MACROALEMANHAPIB*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.