Aumento do IOF favorece leasing, diz associação

Presidente da Abel acredita que o valor presente da carteira de leasing do País crescerá 30% em 2008

Silvia Fregoni, da Agência Estado,

07 de janeiro de 2008 | 17h04

A Associação Brasileira das Empresas de Leasing (Abel) avalia que os contratos de arrendamento mercantil ganharão atratividade com o aumento da tributação das operações de crédito. Entretanto, a entidade não mudará a projeção de crescimento dos negócios do setor para este ano.O presidente da Abel, Rafael Cardoso, acredita que o valor presente da carteira de leasing do País crescerá 30% em 2008, para cerca de R$ 78 bilhões. A projeção foi feita antes da mudança tributária e deverá ser mantida.O avanço esperado para este ano se dará sobre uma base já alta, pois o saldo da carteira deve fechar 2007 em cerca de R$ 60 bilhões, com crescimento de mais de 75% em relação ao ano anterior. Em outubro, o portfólio estava em R$ 56,9 bilhões, com expansão de 75,8% sobre dezembro de 2006.Na semana passada, o governo elevou o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para compensar parte da perda de arrecadação provocada pelo fim da cobrança da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Como o leasing não é considerado operação de crédito, é isento de IOF. Em alguns casos, como no segmento de veículos, o leasing compete com o financiamento tradicional - ou o Crédito Direto ao Consumidor (CDC)."O leasing será favorecido pela mudança tributária, porque houve um aumento de imposto em um produto (crédito) que já tinha desvantagem fiscal. Mas não acredito que essa mudança alavancará o setor", afirma Cardoso. Para ele, haverá certo grau de substituição do financiamento tradicional pelo leasing, mas não de forma tão expressiva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.