Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Aumento do IOF gerou arrecadação extra de R$ 400 mi

A Receita Federal do Brasil informou, por meio de nota técnica, que a extinção da CPMF a partir de janeiro deste ano gerou uma queda na arrecadação no mês passado de cerca de R$ 2,1 bilhões. Por outro lado, o aumento da alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) gerou um acréscimo de cerca de R$ 400 milhões. Com isso, diz a nota, o saldo dessas operações contribuiu negativamente em R$ 1,7 bilhão para o resultado da arrecadação federal no primeiro mês do ano. A arrecadação do IOF apresentou em janeiro um crescimento real de 89,27% em relação ao mesmo mês do ano passado. Para compensar o fim da CPMF, o governo, no primeiro dia útil do ano, aumentou as alíquotas do IOF. De acordo com dados divulgados hoje pela Receita Federal, em relação a dezembro do ano passado, a arrecadação do IOF em janeiro teve um crescimento real de 40,96%. Em janeiro, o governo arrecadou R$ 1,162 bilhão com o imposto. Segundo nota da Receita, a arrecadação deste imposto é apurada a cada dez dias. Em janeiro, teve como fato gerador as operações realizadas no período de 21 de dezembro de 2007 a 20 de janeiro de 2008. Por esta razão, segundo a Receita, o valor arrecadado em janeiro está, em parte, influenciado pela legislação anterior, que continha alíquotas mais baixas. A Receita informou ainda que em janeiro ocorreu uma arrecadação atípica do IOF relativa a depósitos judiciais no valor de R$ 167 milhões.

ADRIANA FERNANDES E RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

26 de fevereiro de 2008 | 16h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.