Aumento do plantio derruba algodão

A expectativa de aumento da área plantada com algodão no mundo pesou ontem nos preços de Nova York. No último ano, o preço do algodão mais do que dobrou no mercado internacional, com alta puxada pela crescente demanda por têxteis após a crise econômica global, enquanto a oferta é restrita. Mas, se a produção aumentar, o preço do algodão tende a ceder. Ontem, a Academia de Ciências da China informou que o país, maior produtor e consumidor da commodity, deve produzir 6,5 milhões de toneladas neste ano, 500 mil a mais do que em 2010. O contrato da pluma para entrega em julho recuou 3,93% e encerrou a terça-feira cotado a 171,16 centavos de dólar por libra-peso. Nem o clima seco no oeste do Texas, que produz um terço do algodão dos Estados Unidos, foi capaz de sustentar as cotações.

Filipe Domingues, O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2011 | 00h00

Já o mercado de trigo, na Bolsa de Chicago, acompanhou justamente os fatores climáticos. Os preços intensificaram a alta da véspera, novamente por causa da estiagem em áreas dos Estados Unidos, da China e da Europa. Se a falta de umidade prejudicar a oferta global, as cotações devem subir mais. Ontem, o contrato do cereal com vencimento em julho avançou 1,26%. O temor maior é de que se repita o cenário do ano passado, quando países como Rússia e Ucrânia tiveram quebra na safra e restringiram a exportação. A soja caiu 0,13% e o milho, 0,33%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.