Aumento do telefone deve ficar entre 6,8% e 16,5%

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) não vai aguardar a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) sobre o índice de inflação a ser usado para o reajuste das tarifas da telefonia fixa de 2003 para divulgar o reajuste deste ano. Se for usado o IPCA, como defende o governo, o aumento será em torno de 6,89%. Caso o STJ decisão pelo IGP-DI, como reivindicam as operadoras, a tarifa poderá subir até 16,5%Segundo o conselheiro José Leite Pereira Filho, não é necessário aguardar a decisão do tribunal, que poderá ser tomada em 1º de julho. Portanto, o reajuste poderá ser divulgado a partir do dia 27 de junho, quando se completa um ano do reajuste de 2003. ?A Anatel vai analisar o aumento de acordo com o contrato de concessão?, afirmou. O conselheiro disse que poderá estabelecer somente o porcentual de reajuste que deve ser aplicado sobre o valor em vigor, fixado por uma liminar judicial.O superintendente de serviços públicos da agência, Marcos Bafutto, informou que a aplicação do contrato da telefonia fixa, tendo como base os preços corrigidos pelo IPCA em 2003, resultaria num reajuste de 6,89%, além de um aumento de 3,2% nas ligações de longa distância nacional, e uma redução de 8,2% na longa distância internacional.As concessionárias estão tentando, na Justiça, restabelecer o IGP-DI como indexador das tarifas do ano passado, o que mudaria a base de cálculo para aplicação do novo reajuste. Se as empresas conseguirem que as tarifas de 2003 sejam corrigidas pelo IGP-DI, o aumento da cesta de tarifas passará a ser de 16,5%, pois seriam incorporados 9,05% da diferença entre os índices.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.