Aumento real de patrimônio
Conteúdo Estadão Blue Studio

Aumento real de patrimônio

Os vários caminhos para começar a aplicar

Estadão Blue Studio, O Estado de S.Paulo

22 de agosto de 2021 | 07h30

A crise econômica é severa, ainda mais por causa da retomada nem sempre vigorosa da economia. Mesmo com tantas dificuldades para fechar as contas no fim do mês, quando sobra alguma coisa, muitos brasileiros tendem a investir, até por comodidade, na tradicional caderneta de poupança, que não ganha mais nem da inflação.

Mas essa questão cultural, diante de tantas novas opções de onde aplicar os recursos, vem mudando de paradigma. Com informação, e saindo da inércia, muitas pessoas físicas, além de montar a essencial reserva de emergência, estão se aprofundando em novos produtos de investimento e começando a decidir com segurança a melhor forma de conseguir preservar e, em um segundo momento, aumentar o capital investido.

Não existe receita única. Os caminhos são diversos, ainda mais porque no mundo dos investimentos existem algumas regras que são basilares. O investidor, antes de mais nada, precisa respeitar o seu próprio perfil de risco. E saber que praticamente não existe a possibilidade de ficar milionário no mercado financeiro do dia para a noite.

Entender a relação que existe entre retorno e risco que se corre é outra das premissas básicas para que os objetivos financeiros sejam alcançados com pouco menos turbulência. Investir não tem nada a ver com apostar em um jogo de azar.

Leia também:

Poupança não é mais um bom negócio

Em um cenário em que as taxas de juros fica abaixo da inflação, o rendimento da tradicional caderneta chega a ser negativo

Os caminhos do primeiro investimento

Aplicar com segurança envolve respeitar o perfil e os objetivos das pessoas

O dilema do mundo imobiliário

O brasileiro ainda se divide entre o investimento direto em tijolo ou em um fundo

Do surfe à TV, personalidades relatam como cuidam do dinheiro

Planejamento e informação sustentam o aumento de patrimônio dos famosos

Rentabilidade pode acompanhar menos risco

Nem sempre quem investe em um ativo mais arriscado vai ganhar mais

 

Conteúdo produzido pelo estadão blue studio, a área de conteúdo customizado do estadão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.