Aumento salarial na zona do euro acelera, empregos desaquecem

O custo do trabalho a zona do euroacelerou em termos anuais no primeiro trimestre enquanto ocrescimento do emprego desacelerou, segundo dados dodepartamento de estatísticas da União Européia, o Eurostat,mostraram nesta sexta-feira. O Eurostat afirmou que o custo do trabalho por hora subiu3,3 por cento no acumulado anual nos 15 países usando o euro,acima do dado revisado de 2,9 por cento nos três mesesanteriores e 2,6 por cento no terceiro trimestre de 2007. Os salários e componentes salariais dos custos por horativeram crescimento ainda mais intenso -- 3,7 por cento no anocontra 3,2 por cento no trimestre anterior e 2,8 por cento doistrimestres antes. Separadamente, o crescimento do emprego na zona do euroficou estável em 0,3 por cento na comparação trimestral nosprimeiros três meses do ano e recuou 1,6 por cento nacomparação anual ante 1,8 por cento no quarto trimestre de 2007e 1,9 por cento no terceiro. O Banco Central Europeu observa o aumento dos salários deperto para ver se eles crescem em linha com os ganhos deprodutividade ou se em vez disso estão crescendo para compensaro aumento nos preços dos alimentos e combustíveis. O BCE está determinado a evitar o que chama de segundoround dos efeitos de inflação com alta nas taxas de juros. Os números desta sexta-feira mostram, contudo, que aAlemanha ainda possui o menor ímpeto com relação ao aumento dossalários, com o custo do trabalho por hora subindo apenas 1,6por cento e os salários crescendo 2,3 por cento no primeirotrimestre. Isso é menos que a inflação no mesmo período. (Reportagem de Jan Strupczewski)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.