Automóvel e combustível puxaram desaceleração do IPCA-15

A principal contribuição para a desaceleração do IPCA-15 de 0,51% em maio para 0,18% em junho veio do grupo Transportes, cuja variação passou de -0,25% para -0,77%. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) considera que, com a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), a partir de 21 de maio, os preços dos automóveis novos caíram 3,50%, com impacto de 0,12 ponto porcentual negativo, o mais baixo no mês.

DANIELA AMORIM, Agencia Estado

21 de junho de 2012 | 09h50

Com isso, foi influenciando também o mercado de usados, cujos preços ficaram 2,62% menores, com impacto de 0,04 ponto negativo. A redução dos preços de carros novos e usados, juntos, causou impacto de 0,16 ponto porcentual negativo no índice de junho.

Ainda no grupo Transportes, contribuíram para a desaceleração do IPCA-15 as variações dos preços do etanol (-1,51%), por causa da baixas cotações da cana-de-açúcar, e da gasolina (-0,37%).

Tudo o que sabemos sobre:
inflaçãoIPCA-15automóveis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.