Autonomia do BC é um processo de diálogo, diz Palocci

Questionado sobre a resistência de integrantes do Partido dos Trabalhadores aos planos do governo de conceder autonomia operacional ao Banco Central neste ano, Palocci demonstrou bom humor. "Eu gostei muito dos recentes comentários do presidente do meu partido (deputado federal José Genoino) sobre isso", disse. "Eu me oriento pelo presidente do meu partido." Segundo Palocci, as negociações para a autonomia legal do BC estão avançando. "isso não é uma briga, é um processo de diálogo", disse.Palocci disse ter recebido "várias manifestações de interesse" nos projetos de Parcerias Público-Privadas (PPPs) no Brasil feitos por investidores estrangeiros durante o evento em Davos. "Principalmente nas áreas de rodovias e ferrovias, que vão iniciar as parcerias", disse. Segundo ele, o grupo Alcoa confirmou que fará uma série de investimentos no País.Ao comentar a ajuda financeira aos países pobres - um dos temas que dominaram o fórum econômico - Palocci disse que o Brasil tem feito sua parte. "Cancelamos a dívida de Moçambique conosco, de Angola, da Bolívia, essa é a contribuição que o Brasil está dando a esse esforço", disse. "Eu espero que os países ricos ofereçam contribuições maiores pois os países muito pobres não têm condições de pagar suas dívidas."

Agencia Estado,

29 de janeiro de 2005 | 13h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.