Autonomia do BC não é prioridade, dizem Mercadante e Genoino

O líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante, garantiu hoje que o projeto de autonomia do Banco Central (BC) não é prioridade para o País neste momento e que as ações federais agora estão voltadas para a discussão de uma agenda de investimentos em infra-estrutura. Mercadante, que participa do lançamento de candidaturas petistas na região de Ribeirão Preto (SP), citou investimentos em gasodutos, ferrovias, e na recuperação das estradas e portos como prioridades para o País. "Sem isso nós não teremos assegurada a continuidade do crescimento. Não estamos discutindo nesse momento esse tema (autonomia do BC)", disse o senador.Ontem, em entrevistas ao jornal Financial Times, o ministro da Fazenda, Antônio Palocci, voltou a defender a autonomia do BC e informou que o projeto seria avaliado pelo Congresso em 2005. O presidente nacional do PT, José Genoino, disse que o partido tem um acordo com Palocci, pelo qual o projeto realmente seria discutido em 2005, mas que o assunto não é prioritário e vai ser debatido com tranqüilidade pelo partido. "O acordo que nós temos, o Palocci está cumprindo. O dia e o ano em que (o projeto) vai (para o Congresso), é competência do PT", explicou. Genoino garantiu ainda há uma "sintonia fina" entre o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, o partido e seus principais ministros das áreas política e econômica. "Entre o PT, Zé Dirceu, Palocci, Aldo Rebello, Lula, Luiz Dulci e nossas lideranças na Câmara do Senado, tem sintonia fina. Não tem areia, não tem futrica e não tem intriga", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.