Autoridade financeira não vê problemas da transição na Libor

Não deve haver qualquer perturbação na transição para um novo sistema de fixação das taxas de referência de empréstimos após uma série de propostas de reformas, disse o regulador encarregado de fixar a Libor de mercado de empréstimos interbancários nesta sexta-feira.

Reuters

28 de setembro de 2012 | 10h38

O chefe da autoridade de serviços financeiros (FSA, na sigla em inglês), Martin Wheatley, disse que havia seguido o conselho legal e que não prevê perturbações porque não houve mudança na definição da Libor.

Wheatley falava após esboçar um plano de 10 pontos para corrigir a Libor.

O plano da FSA, que inclui a supervisão por um novo painel em 2013, marca o primeiro esforço para fixar a taxa de referência manchada, mas reguladores precisam ser cautelosos.

Por um lado, eles precisam restaurar a confiança no sistema financeiro. Por outro, não podem tomar medidas muito radicais sem criar problemas nas transações existentes que usam a taxa. Mais de 300 trilhões de dólares em contratos usam a Libor como referência.

Diversos bancos foram acusados de tentar manipular a Libor. O Barclays Plc, em junho, concordou em pagar 453 milhões de dólares às autoridades dos Estados Unidos e britânicas para resolver as acusações de que tentou manipular a Libor para ajudar nas suas posições de operação.

(Por Huw Jones)

Tudo o que sabemos sobre:
BANCOSLIBORFIXACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.