Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Autoridades do Golfo negam negociação para abandonar dólar

China e países do Golfo Pérsico estariam planejando eliminar a moeda americana do comércio de petróleo

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

06 de outubro de 2009 | 09h43

Autoridades de países do Golfo Pérsico, incluindo o ministro do petróleo do Catar e o ministro das finanças do Kuwait, negaram informações de que os países mantêm conversas secretas para substituir o dólar por uma cesta de moedas nas negociações de petróleo.

 

"Nunca ouvimos isso ou discutimos isso, tampouco secretamente", disse o ministro do Petróleo do Catar, Abdullah bin Hamad Al Attiyah, em entrevista por telefone à agência Dow Jones. O jornal britânico The Independent publicou nesta terça-feira que os países membros da Opep do Golfo Pérsico, incluindo Catar, Arábia Saudita, Kuwait e Emirados Árabes Unidos, estão em negociações com a Rússia, China, Japão e França para substituir o dólar por uma cesta de moedas nas operações comerciais de petróleo. O jornal acrescenta que encontros secretos já teriam ocorrido com ministros das finanças e presidentes de bancos centrais na Rússia, China, Japão e no Brasil.

 

Perguntado se o Ministério das Finanças do Kuwait estava ciente das discussões, o ministro Mustafa Al Shamali afirmou: "não, não estamos cientes de qualquer discussão sobre o assunto". Uma autoridade da Opep também negou a reportagem, classificando-a de "especulação".

 

Nesta terça-feira, 6, o governador do Irã na Opep, Mohammad Ali Khatibi, disse que seu país, segundo maior produtor do grupo, encoraja os exportadores do Golfo Pérsico a substituir o dólar por uma cesta de moedas nas operações de petróleo. "O Irã fez isso há três anos. Substituímos os dólares por outras moedas de valor, estáveis, incluindo o euro e o iene, em nossa receita com petróleo e estamos felizes e não penalizados; fizemos isso porque o dólar ficou fraco", disse Khatibi. "Se alguém quiser utilizar nossa experiência, ficaremos felizes em ajudar". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarcomérciopetróleoChinaGolfo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.