PAULO LIEBERT | ESTADÃO
PAULO LIEBERT | ESTADÃO

Autuações da Receita Federal somam R$ 73 bi no primeiro semestre

Segundo o subsecretário, Receita concentrou esforços nas grandes sonegações e em casos de contribuições previdenciárias; repatriações já somam R$ 808 milhões

Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

18 Julho 2017 | 14h10

BRASÍLIA - As autuações da Receita Federal no primeiro semestre somaram R$ 73,636 bilhões no primeiro semestre de 2017. O valor é 12,6% maior do que o lançado pelo fisco no mesmo período do ano passado. Foram 201.692 procedimentos de janeiro a junho, um crescimento de 14,8%.

Os grandes contribuintes responderam por 75,1% das autuações e 61% do valor. Para esse grupo, os lançamentos somaram R$ 55,284 bilhões no primeiro semestre, alta de 13,2% na comparação com 2016. “Concentramos esforços nas grandes sonegações. Não focamos nos pequenos peixe e sim nos grandes tubarões”, afirmou o subsecretário de Fiscalização da Receita, Iágaro Martins.

+ Governo quer suspender liberação de R$ 4 bi e pode cortar mais

A Receita também focou no primeiro semestre nas fiscalizações de sonegação de contribuições previdenciárias. O valor das autuações dessas fraudes cresceu 54,5% no primeiro semestre, chegando a R$ 6,411 bilhões. 

Repatriação.  A 14 dias do fim do prazo para adesão à segunda fase do programa de repatriação de recursos do exterior, o valor declarado até agora soma R$ 808 milhões, de acordo com dados da Receita Federal. O governo conta com o programa para reforçar o caixa, mas já avalia que o valor deverá ficar abaixo do inicialmente estimado.

+ Bancos travam crédito do BNDES para pequenas empresas

De acordo com Martins, a previsão orçamentária é de arrecadar R$ 3 bilhões com a repatriação, valor que deverá ser superado. "Os números mostram que esse valor é bastante conservador", afirmou, sem estimar valores. Internamente, porém, o governo esperava arrecadar bem mais do que o previsto no Orçamento. No ano passado, a primeira etapa do programa de repatriação arrecadou cerca de R$ 50 bilhões.

A estimativa da Receita é que entre 2,5 mil e 3 mil contribuintes façam parte da segunda fase da repatriação. Até agora, já foram entregues 836 declarações. "Temos muitas entregas nos últimos dias, o grande volume é nos últimos 10 dias", pondera Martins.

+ ‘Fintechs’ podem ampliar empréstimos do BNDES

Foco. Com a troca de informações com outros países, a Receita já identificou uma série de contribuintes que têm ativos no exterior e começará a fiscalizar quem não aderiu à repatriação já em agosto. O primeiro foco será brasileiros com imóveis não declarados no exterior. Somente em Miami, o Fisco listou 2.100 brasileiros com imóveis não declarados. "Estamos monitorando quem está entregando as declarações até 31 de julho. Se não regularizar, vamos iniciar o procedimento fiscal para cobrar o tributo devido", afirmou.

Mais conteúdo sobre:
Brasília [DF] Receita Federal

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.